sexta-feira, 30 de setembro de 2016

EM NOVEMBRO, O DIA DA BANDEIRA (Primeira Parte)

A BANDEIRA

A Bandeira pode ser descrita, do ponto de vista material, como um pedaço de pano colorido, usualmente retangular, preso a uma haste ou mastro por um dos seus lados menores, permitindo ao restante flutuar ao vento. Sob uma ótica intelectual, ela pode ser descrita como um símbolo sociocultural e político, a que uma coletividade atribui significado especial.
Sob o aspecto cívico, isto é, do interesse público, comunitário ou nacional, a Bandeira pode ser definida como um símbolo que tem o poder de despertar e polarizar as energias humanas e sociais de um determinado grupo social ou de todo um povo. Do ponto de vista patriótico, podemos defini-la como um dos símbolos identificadores de um país, isto é, representativo da sua história, das suas tradições e da sua soberania.
Essas concepções da Bandeira, isoladamente ou combinadas, inspiram escritores, poetas e compositores, que entoam loas, reverenciando-a e vestindo-a com as magníficas roupagens do sonho e do ideal.
Símbolo Nacional
Símbolo ou emblema, como todos sabemos, é tudo aquilo que, por um princípio de analogia ou de associação de ideias e sentimentos, representa materialmente ou substitui ideias, sentimentos e crenças – ou, em outras palavras, é uma imagem, sinal ou objeto a que se dá uma significação social, política, intelectual, cultural, científica ou religiosa. A Cruz, por exemplo, é o grande símbolo da civilização cristã e dos seus valores éticos e morais.
O Brasil possui três símbolos nacionais: a Bandeira Nacional, o Hino Nacional e o Brasão de Armas da República, todos minuciosamente regulamentados em Lei Federal. Um símbolo somente tem legitimidade enquanto sua forma, conteúdo e significado são cultivados e respeitados integralmente.
Constituem ofensa grave à Bandeira Nacional e à Pátria qualquer modificação, posição de inferioridade em relação a outros símbolos ou bandeiras, ou atos vandálicos de destruição parcial ou total da Bandeira. Por esse motivo, a lei 5.700 de 1º de setembro de 1971, relativa aos Símbolos Nacionais, torna obrigatório o ensino do desenho e do significado da Bandeira Nacional em todos os estabelecimentos de ensino fundamental e médio, nas redes pública e particular.

* O autor é Ivo Arzua Pereira, associado ao Rotary Club de Curitiba-Oeste, PR, ex-governador do distrito 4730 e assessor do Conselho de Administração da Cooperativa Editora Brasil Rotário. Adaptação de artigo originalmente escrito para as comemorações dos 100 anos da Bandeira do Brasil, em 19 de novembro de 1989.
** Publicado originalmente na edição de

Nenhum comentário:

Postar um comentário